Estação de todo dia

(Fotografia: Diógenes)

(Fotografia: Diógenes)

Enquanto dorme o poeta
Que há pouco se despediu da lua
Canta o galo
Pra quem tem calo na mão
Se aperta logo cedo
Na estação de todo dia

Deste lado da cidade
A noite é breve
Pra quem muito deve
E cansado de mais um dia
Recebe feliz
A chegada de mais uma cria

Na cidade, um destilado
Pra lembrar do passado
E aliviar a lembrança
O filho que deixou dormindo
Maria que não se cansa
Se prepara pra mais um dia

Adriano Yamamoto (Data: 24/10/2013)

* postado originalmente no Pense Fora da Caixa.  http://penseforadacaixa.com/estacao-de-todo-dia/

Sonho Molhado

(Fotografia: Fabiano Lopes)

(Fotografia: Fabiano Lopes)

O menino olhou pro céu!
Viu a chuva caindo!
Era sonho…
Mania de vê água até dormindo
1Represa que tirou o povo do vilarejo
Gente que tentava a sorte ali, o sertanejo
Num lugar de povo simples e pele queimada
Água não sobra nem pra ver plantação molhada
Nosso sertão mineiro de tanto calor
– Abre a torneira 2Hermínio! vê se a água voltou…
Barrajona que tinha água até transbordar
Derramava dentro do rio pros muleques nadar
Alforria de piaba era a represa atravessar
Passava por cima da ribanceira até no rio chegar
Nadava ligeiro descendo 4rio Gorutuba abaixo
Água branca de sabão das 5lavadeiras no riacho
Desviava no caminho de sapo, cobra e taboa
Fugia do 6gorutubano a pescar em sua canoa
Nessa terra, antes de nuvem carregada chegar
O sol na travessia do norte mineiro vem dela judiá

(Adriano Yamamoto – 04/01/2013)

Este poema é dedicado à cidade de Janaúba, que apesar que não ser o meu local de nascimento é a cidade que abrigou minha infância e adolescência e ao povo gorutubano, povo simples, de uma riqueza cultural incrível. Segundo Filho(2008), é um comunidade formada por quilombolas que vive no vale do Gorutuba desde o século XVII, vitimada por um brutal processo de expropriação territorial e de direitos deflagrados no século XX, mais precisamente nos anos 50, e intensificado com a chegada da SUDENE – Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste, a partir da década de 70.

1  Segundo Filho(2008), a privatização das águas do rio Gorutuba, corresponde à construção da Barragem do Bico da Pedra, na década de 1970, e a utilização dos recursos hídricos locais predominantemente na fruticultura irrigada para fins de exportação, deixando as comunidades sem acesso à água rio abaixo.

 2 (in memorian) Meu avô Hermínio Alves dos Santos. Natural do Rio Grande do Norte. Viveu até os seus cem anos em Janaúba/MG

 4 Nasce no município de Francisco Sá (Minas Gerais) e percorre o município de Janaúba, banhando a cidade no sentido sul-norte. Faz divisa com os municípios de Riacho dos MachadosPorteirinha e Nova Porteirinha à leste.

 5 Lavadeiras que até hoje ganham o sustento lavando roupas para outras famílias às margens do rios Gorutuba e Copo Sujo.

 6 Gorutubano é relativo a quem nasceu às margens do Rio Gorutuba, mas, historicamente, remonta aos primeiros moradores da cidade, um povo negro, que veio fugido do sul da Bahia e, bem ali, no Vale do Gorutuba, construiu suas “taperas” e suas famílias, muitas dessas, surgidas do casamento com índios Tapuias.

 

Fontes:

Filho, Aderval Costa – Os Gurutubanos: territorialização, produção e sociabilidade em um quilombo do centro norte mineiro.  Disponível em http://repositorio.unb.br/bitstream/10482/1509/1/2008_AdervalCostaFilho.pdf?origin=publicationDetail

http://www.camarajanauba.mg.gov.br/pagina.php?conteudo=VZlSXRlVOFmYGpEWPdFdXVWRWZVVB1TP

http://gorutubanos.wix.com/site#!gorutubanos/c22j5

Passarim de muro

(Abby Diamond)

(Abby Diamond)

O que canta o passarinho
Fora do ninho
Em cima do muro?

Talvez cante um lamento
Passamos desatentos
Apressados, no escuro

Que profecia declama?
Será que reclama?
Se preocupa com o futuro?

Reivindica um canto quieto?
Um ninho no meio do concreto?
Um teto sem furos?

Será que lamenta, declama,
reclama, profetiza,
reivindica?

Talvez só cante
Pra quem vai e quem fica

Adriano Yamamoto (Data: 24/10/2013)

* Inspirado no passarinho que cantava incansável em cima do muro na rua Espírito Santo em BH/MG