Artesanato do Infinito

adrianos-poem1

Publicado originalmente em http://stacilys.wordpress.com/2014/09/25/brazilian-poetry/
Pessoal este é um poema escrito por mim em português e que teve uma versão em inglês escrita por uma talentosa amiga poeta, cantora e compositora chamada Staci Dunn Silva. Quem quiser conhecer um pouco mais sobre ela, pode acessar o blog http://stacilys.wordpress.com/.

Canção de nayar

Foto Nay

Ei doce amiga
Quem te arrancou as raízes?
As brincadeiras no rio
Aqueles dias felizes
Vento que sopra na lembrança
Vem e traz pela manhã
As primeiras palavras de criança

Cor de açaí, cheiro de cupuaçu
De onde vem, do norte ou do sul?
Uirapuru voando no azul celeste
De onde vem, do norte ou do sudeste?
Curupira assombrando ribeirinho
Rastro onça, canto passarinho

Conte-me um causo, uma cantiga
Andorinha se foi pra longe
Pra outras matas despercebida
Não se reconhece mais seu canto
Suas penas, suas cores, seu encanto
Assovie, cante algo de sua terra
A vida não espera

Cor de açaí, cheiro de cupuaçu
De onde vem, do norte ou do sul?
Uirapuru voando no azul celeste
De onde vem, do norte ou do sudeste?
Curupira assombrando ribeirinho
Rastro onça, canto passarinho

(Para minha querida amiga Nayara Agostini. Com todo o meu imaginário fantasioso sobre Rondônia)