O Samba Daqueles Dias

(Imagem: Autor desconhecido - Fonte: Google Imagens)

(Imagem: Autor desconhecido – Fonte: Google Imagens)

Mulher naqueles dias
Arruma tumulto, chora
Acha defeito em tudo
Fica arredia e não demora
Tira o sujeito do sério
Fecha a cara, não dá bola

Na hora da novela
Imagina a mau criação
Não há mocinho que escape
Nem atriz de plantão
Que seja bonita o bastante
Fica brava, desliga a televisão

Se esqueço, é descaso
Desconfia, se dou presente
Discute a relação
Reclama e constantemente
Arruma as malas
Me esculacha e nem sente

Se ela estiver naqueles dias
Não procure entender
Não há lei que condene
Pergunte ao juiz, você vai ver
E se ela te acusar
Não ouse se defender

Nós de nós

nos de nos

Pessoal, tenho andado um pouco ausente aqui no Compasso Lento por vários fatores e um deles é a criação de um novo espaço poético coletivo com vários outros amigos escritores. Gostaria de apresentar a vocês o nosso singelo e poético site www.nosdenos.com . Faça-nos uma vista. Voltarei às atividades normais do Compasso Lento. Me desculpem a ausência.
Grande abraço a todos vocês!